Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




CHIADO

por lisboacomalma, em 22.10.13

Dicas: aconselhamos andar na cidade com um mapa de Lisboa, que você encontra grátis nos quiosques de turismo espalhados por diversas ruas (rua Augusta há um quiosque ou no Posto de turismo dos Restauradores), pegar também a Agenda Cultural de Lisboa e ver os horários dos museus, eventos e o que acontece na cidade, muitos eventos são gratuitos.

 

O Chiado está localizado entre o Bairro Alto e a Baixa Pombalina, é um dos bairros mais emblemáticos e tradicionais da cidade de Lisboa. Cheio de glamour e história todos querem passear e desfrutar dos encantos deste bairro!
Uns falam que a origem do nome se deve ao apelido de um dono de uma antiga tasca no bairro, o senhor Gaspar Dias; outros explicam que este nome se deve ao poeta António Ribeiro Chiado, que por lá viveu. O certo é que o Chiado é um dos bairros mais conhecidos e visitados de Lisboa.

Estátua do poeta António Ribeiro no Largo do Chiado


O Chiado nos finais do séc XIX, início dos XX teve o seu máximo como o bairro mais boémio da cidade e onde políticos, poetas, artistas, intelectuais se encontravam nos charmosos cafés e restaurantes do bairro. Foi no Chiado que nasceu (num edifício em frente ao Teatro S. Carlos) e viveu Fernando Pessoa. E é em frente ao Café a Brasileira que há a conhecida estátua de Fernando Pessoa sentado, este é um local de paragem obrigatória para tirar uma foto ao lado deste grande poeta português.

 

 Estátua de Fernando Pessoa em frente ao café A Brasiliera


Na década de 80 do século XX um grande incêndio deflagrou no bairro e muitos edifícios foram atingidos; hoje o que nós vemos deve-se a grande reconstituição e revitalização que ficou a cargo do arquiteto Siza Vieira.


Podemos começar o passeio pela Praça Camões, descendo em direção ao Chiado conhecendo os monumentos, museus, apreciando as lojas e toda a agitação que o bairro oferece. Cruzamos a Rua do alecrim, uma das mais bonitas da cidade e avistamos o Tejo, passamos em frente à duas igrejas barrocas a italiana do Loreto e a da Encarnação, que merecem uma visita.


A principal rua que desce em direção a Baixa passando pela rua do Carmo é a rua Garret, onde estão localizadas as principais lojas (Zara, Blanco, Benetton, Hugo Boss etc.) e cafés, mas conhecer o Chiado é explorar todos os seus recantos é se perder nas ruas estreitas subir e descer as ladeiras, explore as laterais, as paralelas, encontre um praça um recanto para descansar e apreciar a beleza do lugar. Entre por exemplo na Rua Ivens e vá até ao Largo da Academia Nacional de Belas Artes, passando por diversas lojas, galerias e restaurantes que há nesta rua.  

As esplanadas mais concorridas são as da Brasileira e a Bernard em plena rua Garret; a Brasileira está aberta de Domingo a Domingo até às 23:00H. A Bernard fecha aos Domingos e à noite mais cedo, ambas para além de pastelaria tem restaurante no seu interior, vale salientar que a comida não é nada de especial. No entanto, há muitos outros cafés para conhecer no Chiado, como a Tartine (rua Serpa Pinto), o café Kafeehaus (café austríaco muito agradável e concorrido na rua Anchieta), Fábula um espaço também muito acolhedor (Calçada Nova de São Francisco 14) e muitos outros...

 

 

Vista da rua Garret

Largo do Chiado e o elétrico 28

 

Monumentos:


Igrejas: Encarnação, Loreto, Mártires, Sacramento (calçado do Sacramento), Ruínas Convento do Carmo (largo do Carmo). Fiquem atentos veja na agenda cultural há diversos concertos gratuitos nas igrejas.


Museus: Museu Nacional de Arte Contemporânea (rua Serpa Pinto); Museu Arqueológico do Carmo (largo do Carmo), Museu de São Roque (não fica bem no chiado, mas sim no Largo de São Roque, belo acervo de arte sacra)


Teatros: São Carlos, único teatro de ópera da cidade (Largo de S. Carlos), São Luiz (rua António Maria Cardozo, 38), Estúdio Mário Viegas (Largo do Picadeiro), Teatro da Trindade (Largo da Trindade 7), Teatro Rápido (rua Serpa Pinto, 14)

 

Igrejas, museus e teatros no Chiado

 

Lojas

São muitas as lojas que estão no Chiado, roupas, acessórios, óculos, cabeleireiros, flores, livros, sapatos, infantis, jóias, luvas… destacamos algumas delas com história, as outras você próprio irá descobrirá e nos contará…

 

Hermés – Largo do Chiado, 9

 

Vista Alegre – Largo do chiado, 20 - 23

 

Paris em Lisboa – Rua Garret, 77, existe desde séc XIX, uma linda loja com produtos de cama, mesa e banho, merece uma visita sem dúvida!

 

Diesel – Pç Camões, 11

 

A vida portuguesa – rua Anchieta 11, uma loja que vende artigos tradicionais e antigos portugueses vale a pena também uma visita.

 

Livraria Bertrand – rua Garret, 73, fundada no séc. XVIII, foi considerada a mais antiga livraria em actividade, pelo Guiness Book, em 2010, merece sem dúvida uma visita,

 

Tous – Rua Garret, 50 - loja de jóias e acessórios espanhola que manteve o espaço da antiga loja a Ourivesaria Aliança que infelizmente fechou em 2012. A loja possui um belíssimo espaço, com fachada exterior em ferro, foi fundada no séc. XIX, apresenta um interior glamouroso, em tons pastel e dourado estilo Luís XVI de inspiração romântica! Pode entrar visitar e fotografar!

 

Casa Pereira – rua Garret,38 fundada em 1930 é uma das muitas lojas tradicionais do bairro uma loja com sabores, cheiros..pratileiras repletas de chocolartes, cafés, chás, vinhos, azeites, doces e bolachas . As bolachas caseiras de manteigas são deliciosas, peça para provar algumas e escolha o sabor preferido. Daquelas que hoje já não se encontram com facilidade, por isso mais um local a explorar.

 

Armazéns do Chiado – um centro comercial onde encontra-se diversas lojas e uma praça de alimentação: FNAC, Sephora, Gato Preto, Adolpho Dominguez acessórios, Loccitane, Kiko entre outras…

 

Luvaria Ulisses – rua do Carmo, 87 – pequena loja de luvas que mantém a decoração original com inspiração no império e fachada neoclássica do inicio do séc. XX. Única casa em Portugal com venda exclusiva de luvas, aqui encontram-se as melhores luvas da cidade.

 

Algumas lojas tradicionais do Chiado

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:34


As Sete Colinas e os seus Miradouros - Parte III

por lisboacomalma, em 21.10.13

Agora falamos dos 3 últimos miradouros de onde podem conhecer os bairros mais visitados da cidade como o Chiado e Bairro Alto, passando pelo Carmo, Bica e ainda o Principe Real.

 

5 - Colina das Chagas - Miradouro e Elevador de Santa Justa

 

A Colina das Chagas corresponde a toda a área que envolve o Largo do Carmo.

Pode-se ir a pé da Baixa, subindo pelo chiado ou subindo pelo Elevador de Santa Justa que sobe e desce na vertical da Baixa para o Carmo, leva-nos ao melhor miradouro sobre o coração da cidade.

 

Deste miradouro tem-se uma vista espetacular sobre a baixa de Lisboa, podendo ver todo o seu traçado; observamos a Pç do Rossio, o Teatro D. Maria, Pç da Figueira, enfim toda a baixa pombalina.
Aproveite para conhecer as ruínas do Convento do Carmo; nesta praça e arredores, como nas Escadinhas do Duque, há inúmeros restaurantes e esplanadas.

Elevador de Santa Justa e Pç. do Carmo


6 - Colina de São RoqueMiradouro São Pedro de Alcântara

 

Esta colina situa-se onde hoje é o Bairro Alto. O Miradouro S. Pedro de Alcântara talvez seja também um dos mais visitados da cidade, possui uma excelente vista para o Castelo de S. Jorge e de toda a encosta com seus casarios. Há um jardim e esplanadas bem agradáveis para um final de tarde. Daqui pode aproveitar para conhecer o tão falado Bairro Alto e o aprazível bairro do Príncipe Real. Ah, o elevador da Glória está aqui ao lado, faz o trajeto Av da Lisberdade - Bairro alto. 

 

 

 Miradouro S. Pedro de Alcântara e uma rua do Bairro Alto

 

7 - Colina de Santa CatarinaMiradouro de Santa Catarina

 

Atualmente vai do Largo Camões até à Calçada do Combro. O Miradouro de Santa Catarina tem uma vista espetacular para o rio Tejo com barcos e navios a navegar…, para relaxar num final de tarde com sol. Há também inúmeras esplanadas e muita animação!
Daqui pode aproveitar para conhecer o tradicional bairro da Bica e o elevador da Bica.

Miradouro Stª Catarina e o Elevador da Bica

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:16


As Sete Colinas e os seus Miradouros - Parte II

por lisboacomalma, em 21.10.13

1 Colina de São Jorge (Mouraria / Sé) – Miradouro do Castelo

 

Esta colina é onde se construiu o Castelo de São Jorge e o miradouro fica dentro do Castelo de São Jorge. Por isso, o visitante tem que pagar a entrada no castelo para apreciar esta vista. O ingresso atualmente custa 7,50€, há descontos para famílias, maiores de 65 e moradores de Lisboa.

Pode aproveitar para conhecer o castelo e parte da história de Lisboa.

 

No seu interior há um restaurante muito bom Casa do Leão e fora das portas inúmeras lojas, bares e tascas.

Este miradouro é bastante concorrido e tem uma bela vista panorâmica da cidade. Nesta colina encontram-se vestígios romanos (teatro romano), islâmicos (medina islâmica) e medievais, pode-se caminhar por ruas estreitas, visitar o teatro romano, os bairros do Castelo, da Mouraria e parte de Alfama.

 

Vista do Castelo de São Jorge

 

2 Colina de São VicenteMiradouro Portas do Sol e Miradouro de Santa Luzia

 

Esta colina é onde hoje situa-se o bairro de Alfama e o Convento de São Vicente de Fora.

Destes dois miradouros podemos observar todo o bairro de Alfama, o rio Tejo, o Mosteiro de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional. Prepare-se para tirar lindas fotografias!

 

No Miradouro Portas do Sol há um espaço tipo varanda onde pode-se admirar a vista magnífica da parte oriental de Lisboa e o rio Tejo. Há ainda uma agradável e moderna esplanada.

 

No miradouro de Stª Luzia há um painel de azulejos que retrata a Pç. Do Comércio antes do terramoto de 1755, possui um pequeno jardim e a Igreja de Stª Luzia; tem igualmente uma vista esplenderosa sobre o bairro de Alfama e o rio Tejo.

 

Destes dois miradouros pode aproveitar para visitar a Igreja de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional (Igreja de Stª Engrácia), onde alberga os túmulos de grandes nomes da história portuguesa; Amália Rodrigues está lá sepultada.

 Miradouros portas do sol e Stª Luzia

 

3 Colina de Santo André Miradouro da Graça e Miradouro do Monte

 

A colina de Stº André corresponde hoje ao bairro da Graça ( calçadas da Graça e Santo André e ao Largo da Graça). Esta é a colina mais elevada das setes.

 

É nesta colina que situa-se o Miradouro da Graça, com uma bela vista panorâmica da cidade e de onde pode-se observar um belo pôr do sol; lá ainda encontra-se Igreja da Graça e para descansar há uma bela esplanada! No meio do jardim há o busto e uma placa com poema da poetiza portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, que frequentava muito este local. Por trás do miradouro fica a Igreja e Convento da Graça (antigo Mosteiro Agostiniano).

 

O Miradouro do Monte,situa-se no ponto mais alto da Graça e daqui a paisagem sobre Lisboa é de tirar o fôlego. Também junto a este miradouro podemos admirar a Capela de Nossa Senhora do Monte; para mim uma das vistas mais bonitas da cidade, quase 360º, com uma bela perspectiva do Castelo de S Jorge e avistando bem em frente, do lado oposto, o Miradouro de S Pedro de Alcântara. Aprecie com calma a beleza da cidade e descubra os seus segredos e encantos!

MIradouro da Graça 

Miradouro do Monte

 

4 - Colina de Sant'AnaMiradouro do Tourel

  

A Colina de Sant’ana fica na zona centro da cidade. Localizada a Oeste do Castelo de São Jorge, ela abrange uma área que vai desde o Campo dos Mártires da Pátria até à Praça da Figueira.

 

Nesta colina fica o Miradouro do Tourel, que apesar de também possuir uma bonita paisagem que dali se desfruta (em frente vê-se o miradouro de São Pedro de Alcântara e a Av da Liberdade), é talvez o mirante menos movimentado da cidade.

Para se chegar a ele, o melhor acesso é pegar o elevador junto à Av da Liberdade, próximo dos Restauradores (rua de S. José), o Elevador da Lavra

 

Este miradouro possui um grande e agradável jardim, com lagos, equipamentos mobiliário e uma ótima esplanada que foi revitalizada há poucos anos. Se estiver com criança neste jardim há muito espaço para elas se divertiram, se estiver sozinho ou acompanhado aproveite para relaxar no relvado.

 

 Jardim do Tourel


 Elevador da Lavra

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:42

 

Lisboa foi sendo construída à beira do rio Tejo e sobre colinas desde há mais de dois mil anos.

 

Descobrir, passear a pé sobre estas colinas e pelos bairros históricos, apreciar a cidade através dos seus miradouros, com uma variedade de paisagens para descobrir, seja com uma vista esplendorosa para o rio Tejo ou com surpreendentes panorâmicas urbanas, mergulhar neste mundo, se perder entre ruas estreitas e tortuosas, desvendar o mistério das suas sete colinas e descobrir o encanto de Lisboa, esta é a nossa proposta.

 

Os miradouros de Lisboa são partes essenciais do encanto da cidade e vale a pena visitar alguns destes miradouros.


O mito das sete colinas de Lisboa.

Lisboa é conhecida por ser “a cidade das sete colinas“. A descrição das sete colinas de Lisboa aparece pela primeira vez no Livro das Grandezas de Lisboa, de Frei Nicolau de Oliveira, no séc. XVII, mas hoje Lisboa tem mais de 7 colinas. Agora vamos nos dedicar as celébres e lendárias 7 colinas de Lisboa.

A primeira é a de São Vicente, a segunda Santo André, a terceira a do Castelo, a quarta a de Santana, a quinta S. Roque, a sexta de Chagas, e a sétima a colina de Sta Catarina do Monte Sinai.

 

Para além dos miradouros inseridos nas sete colinas, há outros com lindas vistas sobre a cidade que merecem também uma visita.

Muitos destes miradouros, principalmente os inseridos na parte histórica, (os das sete colinas), podem ser visitados através de um passeio a pé.

Iniciando o percurso pela Baixa, saindo da Pç. Do Rossio, sobe em direção ao Castelo, passando pela Sé de Lisboa e aí pode visitar o Miradouro do Castelo, Portas do Sol e o de Santa Luzia. Uma outra opção é pegar o novo elevador na Rua dos Fanqueiros, nº 170 - 178 que leva até a rua Costas do Castelo, fazendo este percuso, aconselha-se primeiro visitar o Castelo, depois os outros dois miradouros (Portas do Sol e Santa Luzia.)

 

Elevador para subir para o Castelo e a passagem pela Sé de Lisboa fazendo o percusso a pé, na imagem o elétrico 28

  
Se gostar de andar, depois vá a pé até a Graça para conhecer mais dois miradouros, o do Graça e o do Monte, aventure-se pelas ruas estreitas de um dos bairros mais antigo de Lisboa e descubra o encanto de da Mouraria até chegar à Graça. Nestes bairros tradicionais encontram-se autênticas Tascas lisboetas onde pode comer um bom prato português regado a bom vinho.

 

Caso, não queira ir a pé, a opção pode ser o elétrico 28, que pega em frente ao Miradouro Portas do Sol e desce no Largo da Graça; de lá vai a pé ao Miradouro da Graça e ao do Monte. O Miradouro do Monte tem uma vista espetacular da cidade, quase 360º. O Bairro da Graça também tem seu encanto e é recheado de restaurantes e tascas.

 

Em quase todos esses miradouros há sempre um Quiosque, onde pode parar para descansar tomar um café, um copo de vinho, beber uma imperial ou água e comer algum petisco ou um pastel de nata.

A visita aos outros miradouros pode ser feita a partir do Chiado, indo a pé ao Miradouro da Chagas, São Roque, São Pedro de Alcântara e Stª Catarina.

 

 

Mapa com a localização de alguns dos miradouros de Lisboa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01


Lisboa - um pouco da sua História

por lisboacomalma, em 18.10.13

Lisboa é a cidade de luz, sol, fado, colinas, monumentos, boa gastronomia, do rio Tejo… e de muita história, o que proporciona passeios maravilhosos, é uma beleza que se estende para lá dos monumentos e que se vive nas ruas.

 

Um pouco da sua história


A origem da cidade de Lisboa perde-se no tempo. Foi ocupada por vários povos e teve uma grande importância como porto e devido as relações comerciais com a África. Aqui estiveram celtas, fenícios, Iberos e Lusitanos; foi ocupada pelos romanos, visigodos, mouros e árabes. Recebeu a primeira carta foral em 1179 e foi elevada a capital do reino somente em 1255 pelo rei D. Afonso III.


A primeira ocupação urbana foi próximo ao castelo de São Jorge no período romano (195 a.C.), era designada por Olisipo. Houveram várias invasões transformando a fisionomia da cidade e da população. A invasão árabe deu-se em 711 d. C, transformando a fisionomia da cidade, os muçulmanos permaneceram cerca de meio século (VII ao XII).

 

As influências muçulmanas são ainda hoje visíveis no traçado urbanístico da cidade, podemos ver nos bairros históricos que apresentam ruas estreitas, tortuosas, com escadinhas, casas muito juntas e quase sem aberturas para o exterior. A cidade nesta época desenvolvia-se entre muralhas, dentro da Cerca Moura. O Bairro de ALFAMA é considerado um dos mais antigos de Lisboa e ostenta estas características.
Lisboa situa-se numa zona sísmica e foi em 1 de Novembro de 1755 que ocorreu um grande terrramoto na cidade, atingindo fortemente toda a zona da Baixa, Chiado parte do Castelo e Bairro Alto.

 

Após o terramoto, surge uma nova cidade, a cidade Pombalina. Na época, Marques de Pombal era o primeiro ministro do reino (D. José I), este não mediu esforços e reconstruiu a cidade; a baixa da cidade foi redesenhada; no lugar das ruas estreitas, tortuosas, surge uma cidade ordenada de traçado retilíneo, avenidas largas e grandes praças.

 

Os edifícios são construídos dentro de um sistema anti-sísmico. As ruas são hierarquizadas condicionando a tipologia de edifícios. O edifício pombalino é uma estrutura de até 4 pisos, com arcadas para lojas no piso térreo, varandas no primeiro e cobertura em água furtada. Todas as construções desse período segue esta tipologia, as obras se arrastaram até final do século XVIII. Esta é baixa de Lisboa, a chamada Lisboa Pombalina, que nós vemos hoje em dia, que vai aproximadamente da Praça do Comércio ao Rossio.

 

Vista parcial da Baixa Pombalina


Para conhecer um pouco mais sobre a cidade de Lisboa vale a pena visitar:

 

Lisboa Store Center

Localiza-se na Praça do Comércio, inaugurado em 2012, é um espaço que conta a história da cidade de forma dinâmica, através de equipamentos interativos que nos conta, do passado ao presente, os principais eventos da cidade. Para mim é uma visita imperdível, tanto para adultos como para crianças, que demora aproximadamente 1 hora.  Podemos ver um filme em 3D sobre o terramoto e saber toda a história da reconstrução pombalina. Vale a pena!

 

http://www.lisboastorycentre.pt

 

No Castelo de São Jorge e no seu museu podemos ver vestígios do período romano e muçulmano. Faz-se visitas guiadas por marcação.

 

http://www.castelodesaojorge.pt/index.php

 

Museu da Cidade de Lisboa

Localizado no bairro do Campo Grande, fora do Centro histórico da cidade, num Palácio do século XVIII com um grande e agradável jardim, cercado por plantas, lagos, chafariz e pavões que circulam à vontade junto aos visitantes.  É um museu para descobrir a história da cidade, traça um percurso cronologico da evolução da cidade, com um acervo diversificado, documental, iconográfico (mapas, plantas) e artístico.

Para quem estiver interessado em saber mais sobre a cidade de Lisboa

 

http://www.museudacidade.pt/Paginas/Default.aspx

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32


Lisboa com alma

por lisboacomalma, em 17.10.13

Este é um blog de dicas de viagem e de notícias de Lisboa ou simplismente para quem quer visitar, passear pela cidade, foi pensado para motivá-lo na sua visita e ajudá-lo a construir seu roteiro com alma. 

 

Você vai achar aqui conselhos de locais a visitar, restaurantes, alojamentos, compras e passeios interessantes que você próprio poderá traçar conforme o seu interesse.

 

Além dessas dicas, o blog também vai informar sobre os principais eventos da cidade.

 

Vamos passear pela cidade e ser feliz em Lisboa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:33


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D