Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Uma visita interessante para conhecer um pouco da história de Lisboa.

 

A Igreja  de S. julião, localizada na Rua de S. Julião, foi reconstruída após o terramoto de 1755, a reconstrução foi conculída em 1810. Mas desde 1930 que pertence ao Banco de Portugal, tendo sido dessacralizada e convertida as instalações de serviços, serviu de casas fortes e até de estacionamento. O edifício foi reabilitado em 2012 com projeto do arquiteto Gobçalo Byrne e irá acolher o Museu do Dinheiro.

 

Recentemente as muralhas de D. Dinis, situada na cripita da Igreja, foir restaurada e instalado um núcleo de interpretação onde podemos compreender a história da única muralha medieval de Lisboa,  iremos compreender o modo como esta estrutura defensiva influenciou o urbanismo da cidade a posteriori; a visita é acompanhada por sons e imagens, podemos sentir e ver, numa experiência única, uma viagem muito interessante pela história de Lisboa.

 

A par da muralha a Igreja tem vários espaços onde contempla exposições de artistas contemporâneo, a maioria das obras de arte pertencem ao Banco de Portugal.  O museu está bastante interativo, explore....vale a pena... percorremos 3 andares onde o antigo contrasta com o moderno e merece sim uma visita!!! Se estiver cansado, com fome ou sede, no ultimo andar há uma cafetaria.

 

Ah a entrada é gratuita, o que muito bom!!! 

 

Horário:

 

Terç a Sext das 10:00 às 18:00 H

De maio a  4 de Setembro funciona também aos sábados no mesmo horário

 

Localização: Rua de S. Julião (em frente a Pç do Município)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:58

A festa de Santo António, o santo padroeiro da cidade de Lisboa, é a maior festa popular e uma das mais bonitas que acontece na cidade de Lisboa. É uma festa do povo, onde todos saem a rua para se divertirem, crianças, adultos velhos, famílias inteiras…A cidade e as pessoas se transformam nessa noite com um único objetivo divertirem-se e serem felizes…fantasiados ou não, toda a agente de sorrisos nos lábios, de boa vontade e com energia quase inesgotável sobem e descem ladeiras andam e percorrem as ruas estreitas dos bairros históricos com ar de alegria e brincam à noite toda…ninguém reclama das pisadas nos pés, dos empurrões, tudo vale a pena…

 

 

Os preparativos para a festa

 

Nesse dia logo cedo quando vamos ao supermercado, a padaria ou saímos do trabalho o que ouvimos de cumprimento é “bom Santos! “Boa noite de Santos” “aproveitem os Santos” !!

 

A festa começa com os casamentos de St António, evento patrocinado pela Câmara de Lisboa que acontece a partir das 14:00h do dia 12, os casais desfilam em carros antigos pelas ruas da cidade e depois vão para a celebração religiosa que acontece claro na igreja de St António.

 

 

As noivas de St António

 

Mais tarde e já a partir das 18:00H centenas de pessoas rumam à rua para festejar o santo António. A partir das 21:00h acontece o tradicional desfile das marchas populares, onde os diferentes bairros competem pela melhor marcha ao descerem a Av. Da Liberdade.

Há os que escolhem assistir ao desfile e depois irem para os arraias e há aqueles que vão somente para os arraiais e aproveitam por completo a mágica noite de Santo António.

 

Santo António é conhecido como o santo casamenteiro, um dos santos mais populares da igreja católica, sendo o santo a quem os jovens devem pedir ajuda para arranjar namorado(a) ou casamento.

 

Quase que em todas as casas dos bairros populares há um pequeno altar na porta dedicado ao santo, conhecido como o trono de Santo António, para além da imagem do santo há uma caixinha, para que seja depositado um “dinheirinho” para santo, para proteção e saúde. São lindos esses pequenos altares, com flores e bastante coloridos, são testemunho de devoção!

Diz a lenda que essa tradição remonta a 1755, após o grande terramoto que abalou a cidade de Lisboa, onde a igreja de santo António ruiu, esses pequenos altares começaram a serem montados para angariar fundos para a reconstrução da igreja. A tradição mantém-se até hoje.

 

 

Os pitorescos altares de St António espalhados pela cidade

 

arraias espalhadas por todos os bairros, barracas com comidas e bebidas. A tradição manda no dia de St António comer sardinha assada no pão ou no prato com salada, caldo verde, pimento assado, broa, mas ainda há febras, bifanas e chouriços, tudo assado num braseiro no meio da rua, as bebidas mais comuns são as imperiais e as sangrias, acompanhado por músicas das mais variadas, toca-se de tudo ….sendo a música “pimba” a mais apreciada da noite nos bailaricos que vão se formando pelas ruas estreitas dos bairros antigos.  

 

Todas as casas e ruas dos bairros estão enfeitadas com cores fortes e variadas, balões, bandeirinhas e as janelas são adornadas pelo manjerico. Pois, o manjerico, para além claro do próprio Santo António, é ainda dos principais símbolos desta festa. Ele é considerado a “erva dos namorados” e fazem-se acompanhar por uma quadra romântica, manda a tradição que todos os namorados deem um manjerico a sua amada. Eles são feitos de papel, uma arte e uma bela tradição que vai colorindo as praças, largos e ruas da cidade.

 

 

 

A tradição, o manjerico,os balões, o colorido das casas, portas e janelas

 

Os bairros mais tradicionais para festejar o dia de Santo António são: Alfama, Mouraria, Castelo, Sé, Santa Engrácia, Bica, Bairro Alto, Madragoa e Graça. Há quem escolha um dos bairros e passar a noite toda lá, e aqueles que gostam de percorrer todos os bairros noite a dentro…a festa acaba quando o dia amanhece.

 

 

 

A saída da marcha da Bica (Rua de S. paulo)

 

 

 As ruas dos bairros na grande noite, sardinhas e muita alegria

 

 

 A alegria contagiante da noite de St António

 

O encerramento oficial das comorações ao Santo é com a procissão que percorre Alfama, em que o Santo é levado com grande honra pelas ruas do bairro no dia 13 de Junho, geralmente pelas 17:00H. Uma bonita procissão onde a tradição, a fé a religiosidade estão presentes e estampadas nos rostos dos devotos.

 

 

 

Fé e religiosidade na procissão de St António no dia 13 de Junho

 

A Bica é linda!! Alfama é linda!!! Lisboa é Linda!!! Portugal é lindo!! E viva Santo António!! Este é um dos gritos de guerra que ouvimos durante toda a festa na noite de Santo António.

  

A euforia é total o ar de felicidade estampada no rosto das pessoas é contagiante, só dura uma noite, mas é mágica e vale por uma datas delas.

 

A festa de Stº António de Lisboa uma tradição que ainda se mantém viva, uma vivência única a não perder !!!

Enquanto houver Santo António, Lisboa está viva!!!

 

E até o próximo Stº António e de novo nos encontraremos por lá!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:29


Novo Mercado da Ribeira

por lisboacomalma, em 18.05.14

O Mercado da Ribeira, situa-se na Av 24 de Julho , talvez um dos maiores mercados de Lisboa, com projeto de Ressano Garcia de 1882, no entanto, um incêndio deflagrado em 1893 destrui parte do edifício e o projeto que vemos hoje é de 1930 do arquiteto João Piloto, que incluiu a elevação da cúpula; era esse até o ano 2000 o antigo Mercado Abastecedor de Lisboa.

 

No ano de 2013 houve um concurso da Câmara para reabilitação/renovação do edifício, sendo a TIME OUT ganhadora do concurso, fez-se obras de requalificação e o novo mercado foi inaugurado ontem 17 de maio de 2014.

 

Parte do mercado, do piso térreo, abre ao público com diversos bares, restaurantes de Chefs renomados da cozinhas lisboeta.  

A outra parte do piso térreo mantém as atividades de mercado propriamente dita, com a venda de frutas, legumes, carnes e peixes.

 

A segunda parte do projeto é a reqaulificação do segundo piso.

 

Assim Lisboa tem dois mercados renovados esse ano, o mercado de Campo de Ourique e o Mercado da Ribeira.

 

Qual dos dois preferimos? Ah depende, vale uma espreitada nos dois, cada um com sua beleza e encanto….

 

Sem dúvida, assim como o mercado de Campo de Ourique, o novo Mercado da Ribeira veio para ficar e encantar a cidade !!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:46


Igreja de São Vicente e Panteão Nacional

por lisboacomalma, em 25.03.14

Uma visita à Igreja de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional


Visitar estes dois monumentos, fazer um belo passeio por um dos bairros históricos de Lisboa (Alfama) e contemplar as vistas maravilhosas da cidade que estes monumentos oferecem, é um excelente programa!

 

Para fazer a visita com calma aconselho um dia; de manhã visitar o Mosteiro de S. Vicente que é grande, bonito e tem muito o que apreciar, para os amantes da arquitetura e história da Arte. Depois pode-se almoçar no Mercado de Santa Clara e a seguir visitar o Panteão Nacional (Igreja de Santa Engrácia), todos os dois monumentos oferecem vistas maravilhosas da cidade, por isso não esqueça a sua máquina fotográfica!

 

Vale salientar que se fizer essa visita às terças ou sábados vai encontrar a Feira da Ladra, que prolonga-se pelas mediações do Mosteiro de São Vicente de Fora até o Campo de Santa Clara (Mercado), que é uma feira de velharias muito visitada, principalmente aos sábados. Se gostar também de feiras vale a pena!!

 

 

Mosteiro e Igreja de São Vicente de Fora

 

Um dos mais grandiosos e imponentes monumentos religiosos de Lisboa, onde o estilo maneirista sugere equilíbrio e harmonia, pertencia à ordem de Santo Agostinho. A sua construção remonta ao período medieval, mas sofreu reformas durante os vários séculos, hoje o que nós vemos remonta aos séculos XVI, XVII e XVIII; maneirismo e barroco são os estilos que imperam. Conserva ainda a antiga Cisterna do séc. XVI. Construído em 3 andares, possui 2 claustros, a igreja com decoração barroca e uma bela e importante coleção de azulejos que adornam as distintas paredes do edifício.

Nas dependências da Igreja estão localizados ainda o Panteão Real dos Braganças, o Panteão dos Patriarcas de Lisboa e ainda o Museu do Patriarcado com o seu interessante espólio. Tudo isso para ser visitado com calma.

 

No último andar do edifício encontra-se um amplo terraço com uma bela vista para Alfama e Lisboa.

 

Saindo da Igreja e para continuar o passeio faz-se uma visita ao Mercado de Santa Clara, que fica no largo de Santa Clara. Neste Largo, está situado o restaurante Santa Clara dos Cogumelos, aqui no blog tem um post sobre este restaurante.

  

 Vistas do exterior e interior do Mosteiro de S. Vicente, Lisboa

  

 

 Vistas do interior e do terraço do Mosteiro de S. Vicente de Fora, Lisboa

 


Mercado de Santa Clara

 

O mercado está localizado no Campo de Santa Clara, um pequeno e singelo edifício da arquitectura do ferro, onde o ferro e o vidro são os matérias utilizados nas suas estruturas. Hoje em dia não funciona mais como mercado de alimentação, atualmente na nave central está localizado o Centro das Artes Culinárias, onde tem um restaurante aberto com comidas típicas e simples,mas boa, tendo sempre 2 ou 3 pratos à escolha.

 

Para maiores informações e saber das atividades:
http://www.centrodasartesculinarias.org/

 

Nas laterais do edifício, há lojas com venda de artesanatos, antiguidades e velharias, existindo ainda um restaurante no 1º andar, o Santa Clara dos Cogumelos.

 

 

 

 Mercardo de Santa Clara, Largo de Santa Clara, Lisboa

 

 

 

Panteão Nacional – Igreja de Santa Engrácia

 

A igreja de Santa Engrácia é considerada o primeiro monumento em estilo barroco do país; a sua construção remonta aos séculos XVI, VII, XVIII e XX, as obras perduraram muito tempo que deram origem à expressão popular "obras de Santa Engrácia" para designar algo que nunca mais acaba, a igreja foi finalmente concluída em 1966.


Desde o século XIX, que o edifício foi designado para ser o Panteão Nacional, no entanto, foi somente oficialmente inaugurado em 1966.


Estão aí depositados os restos mortais dos primeiros presidentes da república e outras personalidades intelectuais como a fadista Amália Rodrigues.

 

Considerado o primeiro monumento em estilo barroco no país, é coroado por um belo e grande zimbório, possui amplos espaços interiores harmoniosamente decorados com vários tipos de mármores coloridos com a técnica do embutido. Apresenta uma arquitectura religiosa, maneirista e barroca.

 

No último andar encontra-se o terraço do zimbório, aqui para para descansar, sem pressa, contemple a deslumbrante vista da cidade e do rio Tejo.

 

 

Vistas interior e exterior do Panteão nacional, Igreja de Santa Engrácia, Lisboa

 


Informações :

 

Mosteiro e Igreja de São Vicente
Largo de São Vicente, Alfama (Graça)

Telefone: 218 244 400 -21 - Telefone: Igreja: 218 824 400 Mosteiro: 218810500

Horário: Igreja: 9h – 17h Mosteiro: 10h – 18h (encerram 2ª feira)
Transportes: Autocarro – 12, 34 Eléctrico – 28
Entrada: A visita ao Mosteiro é paga (5€) há descontos para maiores de 65 anos.

 

Panteão Nacional – Igreja de Santa Engrácia

Endereço: Campo de Santa Clara 1100-471 Lisboa
Telefone(s): +351 218854820 - E-mail: geral@panteao.dgpc.pt

 

De Terça a Domingo: das 10h00 às 17h00 (última entrada às 16h40)
Encerrado: Segundas–feiras e nos dias 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro
Bilhete Individual: 3 € há descontos para maiores de 60 anos e outros.
Entrada livre: - Domingos e Feriados até às 14h00 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24


Arco da Rua Augusta

por lisboacomalma, em 17.03.14

 

O Arco da Rua Augusta está situado na parte Norte da Pç do Comércio, foi construído após o terramoto de 1755 e concluído em 1875. Do cimo do arco há um fabuloso miradouro que proporciona aos visitantes uma panorâmica sobre a cidade, em especial sobre a Pça do Comércio. No seu interior, os visitantes podem ainda conhecer a história deste arco triunfal de Lisboa, desde o início da construção até à sua conclusão, através de uma exposição na Sala do Relógio.


O Arco da Rua Augusta está aberto ao público diariamente, entre as 09h00 e as 19h00, o acesso é feito por uma porta em baixo do arco e por elevador.

 

A entrada custa 2,50€ e se comprar em conjunto com o Lisboa Store Center custa 8€ as duas entradas.

 

Vale a pena uma visita e apreciar mais uma bela vista da cidade!

 

Ps: Há um post aqui no blog sobre o Lisboa Store center que também merece uma visita!

 

Vitas do Arco da Rua Augusta

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

Cogumelos um restaurante – Santa Clara dos Cogumelos

 

Conhecer o restaurante Santa Clara dos Cogumelos foi uma surpresa agradabilíssima!!


Primeiro pelo local onde está situado em São Vicente de Fora, próximo à feira da Ladra, no pitoresco campo de Santa Clara, por cima do mercado de Santa Clara, em Lisboa.

 

O ambiente é informal e acolhedor, sala com janelas de vidros e uma linda vista para o Tejo, decorado com bom gosto e muito humor, não deixem de visitar o WC genial!!…. para além de ouvir uma boa música, enquanto espera-se os cogumelos!!

 

Bem, o santa Clara dos Cogumelos, é um restaurante onde todos os pratos são à base de cogumelos, desde à entrada até a sobremesa…onde são utilizados cogumelos frescos e selecionados, a ementa é sazonal, hum..tudo muito delicioso!

 

Pode-se comer apenas os petiscos ou jantar, a lista não é extensa, mas tudo muito gostoso e sob a supervisão do proprietário Luigi, um italiano que vive em Lisboa!

 

Iniciamos a nossa viagem gastronómica pelo mundo dos cogumelos pela manteiga com cogumelos, paté e pickles de cogumelos; o queijo de cabra, figo e cogumelos delicioso! Ah e os cogumelos à bulhão pato esplêndido!!! Como prato principal tem salmão com cogumelos, carne com cogumelos, gnocchis com cogumelos e risoto de cogumelos muito saboroso!!!


E as sobremesas “Tentação de Santa Clara” um creme brûllée com cogumelos, muito bom!! E ainda brownie de chocolate com uma bola de gelado e pedaços de cogumelos.


O Santa Clara dos Cogumelos, com um atendimento simpático e preço justo é um espaço indicado para os amantes dos cogumelos, uma experiência diferente que vale a pena !! A repetir!!!

 

Endreço:

 

Mercado de Santa Clara

 

Campo de Santa Clara, 7 - 1º
1100-472 LISBOA

Tel: 218870661 - TM: 913043302
info@santaclaradoscogumelos.com

 

Horário:
3ª | Tue: 19:30 - 23:00 - 4ª | Wed: 19:30 - 23:00 - 5ª | Thu: 19:30 - 23:00 - 6ª | Fri: 19:30 - 23:00
Sáb | Sat: 12:30 - 15:30 | 19:30 - 23:00

 

http://www.santaclaradoscogumelos.com/

 

https://www.facebook.com/pages/Santa-Clara-dos-Cogumelos/345896055524859?fref=ts

 

 


Restaurante Santa dos Cogumelos  

 

 Entradas e pratos principais no Santa Clara Cogumelos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:32


Um pouco da noite de Lisboa

por lisboacomalma, em 11.02.14

Noite em Lisboa


Lisboa tem uma noite muito diversificada e animada para todas as idades e gostos.

 

O Bairro Alto

 

O Bairro  Alto é um bairro histórico com 500 anos, onde tem uma das noites mais agitadas da cidade, com uma frequência bastante heterogénea, jovens, velhos, intelectuais, artistas, jornalistas, lisboetas e turistas por lá circulam. 

Para quem gosta de diversão, o Bairro Alto oferece variadas opções: restaurantes típicos, bares, casas de fado, casas de chá, livrarias, bibliotecas, teatros, alguns dos ateliers de estilistas mais criativos, lojas de moda e design. E à noite as ruas se transformam, em praticamente cada porta há um bar, uma tasca, um restaurante. È só andar pelas ruas estreitas, descobrir e escolher um local para ficar. O agito da noite começa depois das 22:00H, no entanto os restaurantes abrem a partir das 19:00H e ás 2:00H da manhã todos os estabelecimentos fecham às portas.

 

Uma das ruas do Bairro Alto à noite

O novo Cais de Sodré

 

Muito próximo do Bairro alto, pode-se seguir a pá até ao Cais do Sodré, próximo ao rio Tejo. Esta zona antigamente era onde divertiam-se os marinheiros, foi recentemente requalificada sendo hoje um local de grande descontração, com espaços culturais, bares, cafés, restaurantes e discotecas com músicas bastantes variadas.
A rua central onde tudo recomeçou foi a Rua Nova do Carvalho, ou Rua Cor de Rosa (o chão da rua atualmente é pintado de rosa), onde a diversão aqui é garantida: bares, restaurantes e discotecas garantem a animação a noite toda. No entanto deve-se explorar as ruas adjacentes como a Praça e Rua de São Paulo e as mediações do Mercado da Ribeira onde a cada dia surge um novo espaço de convívio e diversão.

 

Alfama

 

O bairro de Alfama, podemos considerar menos “agitado” que o Bairro Alto e o Cais de Sodré, no entanto não deixa de ser interessante,é um local onde encontram-se diversos restaurantes e muitas casas de fados tradicionais, hoje em dia convive com a abertura de novos e modernos espaços com uma frequência jovem.

 

O agito da noite no Cais de Sodré

                                                                  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:54


CHIADO

por lisboacomalma, em 22.10.13

Dicas: aconselhamos andar na cidade com um mapa de Lisboa, que você encontra grátis nos quiosques de turismo espalhados por diversas ruas (rua Augusta há um quiosque ou no Posto de turismo dos Restauradores), pegar também a Agenda Cultural de Lisboa e ver os horários dos museus, eventos e o que acontece na cidade, muitos eventos são gratuitos.

 

O Chiado está localizado entre o Bairro Alto e a Baixa Pombalina, é um dos bairros mais emblemáticos e tradicionais da cidade de Lisboa. Cheio de glamour e história todos querem passear e desfrutar dos encantos deste bairro!
Uns falam que a origem do nome se deve ao apelido de um dono de uma antiga tasca no bairro, o senhor Gaspar Dias; outros explicam que este nome se deve ao poeta António Ribeiro Chiado, que por lá viveu. O certo é que o Chiado é um dos bairros mais conhecidos e visitados de Lisboa.

Estátua do poeta António Ribeiro no Largo do Chiado


O Chiado nos finais do séc XIX, início dos XX teve o seu máximo como o bairro mais boémio da cidade e onde políticos, poetas, artistas, intelectuais se encontravam nos charmosos cafés e restaurantes do bairro. Foi no Chiado que nasceu (num edifício em frente ao Teatro S. Carlos) e viveu Fernando Pessoa. E é em frente ao Café a Brasileira que há a conhecida estátua de Fernando Pessoa sentado, este é um local de paragem obrigatória para tirar uma foto ao lado deste grande poeta português.

 

 Estátua de Fernando Pessoa em frente ao café A Brasiliera


Na década de 80 do século XX um grande incêndio deflagrou no bairro e muitos edifícios foram atingidos; hoje o que nós vemos deve-se a grande reconstituição e revitalização que ficou a cargo do arquiteto Siza Vieira.


Podemos começar o passeio pela Praça Camões, descendo em direção ao Chiado conhecendo os monumentos, museus, apreciando as lojas e toda a agitação que o bairro oferece. Cruzamos a Rua do alecrim, uma das mais bonitas da cidade e avistamos o Tejo, passamos em frente à duas igrejas barrocas a italiana do Loreto e a da Encarnação, que merecem uma visita.


A principal rua que desce em direção a Baixa passando pela rua do Carmo é a rua Garret, onde estão localizadas as principais lojas (Zara, Blanco, Benetton, Hugo Boss etc.) e cafés, mas conhecer o Chiado é explorar todos os seus recantos é se perder nas ruas estreitas subir e descer as ladeiras, explore as laterais, as paralelas, encontre um praça um recanto para descansar e apreciar a beleza do lugar. Entre por exemplo na Rua Ivens e vá até ao Largo da Academia Nacional de Belas Artes, passando por diversas lojas, galerias e restaurantes que há nesta rua.  

As esplanadas mais concorridas são as da Brasileira e a Bernard em plena rua Garret; a Brasileira está aberta de Domingo a Domingo até às 23:00H. A Bernard fecha aos Domingos e à noite mais cedo, ambas para além de pastelaria tem restaurante no seu interior, vale salientar que a comida não é nada de especial. No entanto, há muitos outros cafés para conhecer no Chiado, como a Tartine (rua Serpa Pinto), o café Kafeehaus (café austríaco muito agradável e concorrido na rua Anchieta), Fábula um espaço também muito acolhedor (Calçada Nova de São Francisco 14) e muitos outros...

 

 

Vista da rua Garret

Largo do Chiado e o elétrico 28

 

Monumentos:


Igrejas: Encarnação, Loreto, Mártires, Sacramento (calçado do Sacramento), Ruínas Convento do Carmo (largo do Carmo). Fiquem atentos veja na agenda cultural há diversos concertos gratuitos nas igrejas.


Museus: Museu Nacional de Arte Contemporânea (rua Serpa Pinto); Museu Arqueológico do Carmo (largo do Carmo), Museu de São Roque (não fica bem no chiado, mas sim no Largo de São Roque, belo acervo de arte sacra)


Teatros: São Carlos, único teatro de ópera da cidade (Largo de S. Carlos), São Luiz (rua António Maria Cardozo, 38), Estúdio Mário Viegas (Largo do Picadeiro), Teatro da Trindade (Largo da Trindade 7), Teatro Rápido (rua Serpa Pinto, 14)

 

Igrejas, museus e teatros no Chiado

 

Lojas

São muitas as lojas que estão no Chiado, roupas, acessórios, óculos, cabeleireiros, flores, livros, sapatos, infantis, jóias, luvas… destacamos algumas delas com história, as outras você próprio irá descobrirá e nos contará…

 

Hermés – Largo do Chiado, 9

 

Vista Alegre – Largo do chiado, 20 - 23

 

Paris em Lisboa – Rua Garret, 77, existe desde séc XIX, uma linda loja com produtos de cama, mesa e banho, merece uma visita sem dúvida!

 

Diesel – Pç Camões, 11

 

A vida portuguesa – rua Anchieta 11, uma loja que vende artigos tradicionais e antigos portugueses vale a pena também uma visita.

 

Livraria Bertrand – rua Garret, 73, fundada no séc. XVIII, foi considerada a mais antiga livraria em actividade, pelo Guiness Book, em 2010, merece sem dúvida uma visita,

 

Tous – Rua Garret, 50 - loja de jóias e acessórios espanhola que manteve o espaço da antiga loja a Ourivesaria Aliança que infelizmente fechou em 2012. A loja possui um belíssimo espaço, com fachada exterior em ferro, foi fundada no séc. XIX, apresenta um interior glamouroso, em tons pastel e dourado estilo Luís XVI de inspiração romântica! Pode entrar visitar e fotografar!

 

Casa Pereira – rua Garret,38 fundada em 1930 é uma das muitas lojas tradicionais do bairro uma loja com sabores, cheiros..pratileiras repletas de chocolartes, cafés, chás, vinhos, azeites, doces e bolachas . As bolachas caseiras de manteigas são deliciosas, peça para provar algumas e escolha o sabor preferido. Daquelas que hoje já não se encontram com facilidade, por isso mais um local a explorar.

 

Armazéns do Chiado – um centro comercial onde encontra-se diversas lojas e uma praça de alimentação: FNAC, Sephora, Gato Preto, Adolpho Dominguez acessórios, Loccitane, Kiko entre outras…

 

Luvaria Ulisses – rua do Carmo, 87 – pequena loja de luvas que mantém a decoração original com inspiração no império e fachada neoclássica do inicio do séc. XX. Única casa em Portugal com venda exclusiva de luvas, aqui encontram-se as melhores luvas da cidade.

 

Algumas lojas tradicionais do Chiado

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:34


As Sete Colinas e os seus Miradouros - Parte III

por lisboacomalma, em 21.10.13

Agora falamos dos 3 últimos miradouros de onde podem conhecer os bairros mais visitados da cidade como o Chiado e Bairro Alto, passando pelo Carmo, Bica e ainda o Principe Real.

 

5 - Colina das Chagas - Miradouro e Elevador de Santa Justa

 

A Colina das Chagas corresponde a toda a área que envolve o Largo do Carmo.

Pode-se ir a pé da Baixa, subindo pelo chiado ou subindo pelo Elevador de Santa Justa que sobe e desce na vertical da Baixa para o Carmo, leva-nos ao melhor miradouro sobre o coração da cidade.

 

Deste miradouro tem-se uma vista espetacular sobre a baixa de Lisboa, podendo ver todo o seu traçado; observamos a Pç do Rossio, o Teatro D. Maria, Pç da Figueira, enfim toda a baixa pombalina.
Aproveite para conhecer as ruínas do Convento do Carmo; nesta praça e arredores, como nas Escadinhas do Duque, há inúmeros restaurantes e esplanadas.

Elevador de Santa Justa e Pç. do Carmo


6 - Colina de São RoqueMiradouro São Pedro de Alcântara

 

Esta colina situa-se onde hoje é o Bairro Alto. O Miradouro S. Pedro de Alcântara talvez seja também um dos mais visitados da cidade, possui uma excelente vista para o Castelo de S. Jorge e de toda a encosta com seus casarios. Há um jardim e esplanadas bem agradáveis para um final de tarde. Daqui pode aproveitar para conhecer o tão falado Bairro Alto e o aprazível bairro do Príncipe Real. Ah, o elevador da Glória está aqui ao lado, faz o trajeto Av da Lisberdade - Bairro alto. 

 

 

 Miradouro S. Pedro de Alcântara e uma rua do Bairro Alto

 

7 - Colina de Santa CatarinaMiradouro de Santa Catarina

 

Atualmente vai do Largo Camões até à Calçada do Combro. O Miradouro de Santa Catarina tem uma vista espetacular para o rio Tejo com barcos e navios a navegar…, para relaxar num final de tarde com sol. Há também inúmeras esplanadas e muita animação!
Daqui pode aproveitar para conhecer o tradicional bairro da Bica e o elevador da Bica.

Miradouro Stª Catarina e o Elevador da Bica

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:16


As Sete Colinas e os seus Miradouros - Parte II

por lisboacomalma, em 21.10.13

1 Colina de São Jorge (Mouraria / Sé) – Miradouro do Castelo

 

Esta colina é onde se construiu o Castelo de São Jorge e o miradouro fica dentro do Castelo de São Jorge. Por isso, o visitante tem que pagar a entrada no castelo para apreciar esta vista. O ingresso atualmente custa 7,50€, há descontos para famílias, maiores de 65 e moradores de Lisboa.

Pode aproveitar para conhecer o castelo e parte da história de Lisboa.

 

No seu interior há um restaurante muito bom Casa do Leão e fora das portas inúmeras lojas, bares e tascas.

Este miradouro é bastante concorrido e tem uma bela vista panorâmica da cidade. Nesta colina encontram-se vestígios romanos (teatro romano), islâmicos (medina islâmica) e medievais, pode-se caminhar por ruas estreitas, visitar o teatro romano, os bairros do Castelo, da Mouraria e parte de Alfama.

 

Vista do Castelo de São Jorge

 

2 Colina de São VicenteMiradouro Portas do Sol e Miradouro de Santa Luzia

 

Esta colina é onde hoje situa-se o bairro de Alfama e o Convento de São Vicente de Fora.

Destes dois miradouros podemos observar todo o bairro de Alfama, o rio Tejo, o Mosteiro de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional. Prepare-se para tirar lindas fotografias!

 

No Miradouro Portas do Sol há um espaço tipo varanda onde pode-se admirar a vista magnífica da parte oriental de Lisboa e o rio Tejo. Há ainda uma agradável e moderna esplanada.

 

No miradouro de Stª Luzia há um painel de azulejos que retrata a Pç. Do Comércio antes do terramoto de 1755, possui um pequeno jardim e a Igreja de Stª Luzia; tem igualmente uma vista esplenderosa sobre o bairro de Alfama e o rio Tejo.

 

Destes dois miradouros pode aproveitar para visitar a Igreja de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional (Igreja de Stª Engrácia), onde alberga os túmulos de grandes nomes da história portuguesa; Amália Rodrigues está lá sepultada.

 Miradouros portas do sol e Stª Luzia

 

3 Colina de Santo André Miradouro da Graça e Miradouro do Monte

 

A colina de Stº André corresponde hoje ao bairro da Graça ( calçadas da Graça e Santo André e ao Largo da Graça). Esta é a colina mais elevada das setes.

 

É nesta colina que situa-se o Miradouro da Graça, com uma bela vista panorâmica da cidade e de onde pode-se observar um belo pôr do sol; lá ainda encontra-se Igreja da Graça e para descansar há uma bela esplanada! No meio do jardim há o busto e uma placa com poema da poetiza portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, que frequentava muito este local. Por trás do miradouro fica a Igreja e Convento da Graça (antigo Mosteiro Agostiniano).

 

O Miradouro do Monte,situa-se no ponto mais alto da Graça e daqui a paisagem sobre Lisboa é de tirar o fôlego. Também junto a este miradouro podemos admirar a Capela de Nossa Senhora do Monte; para mim uma das vistas mais bonitas da cidade, quase 360º, com uma bela perspectiva do Castelo de S Jorge e avistando bem em frente, do lado oposto, o Miradouro de S Pedro de Alcântara. Aprecie com calma a beleza da cidade e descubra os seus segredos e encantos!

MIradouro da Graça 

Miradouro do Monte

 

4 - Colina de Sant'AnaMiradouro do Tourel

  

A Colina de Sant’ana fica na zona centro da cidade. Localizada a Oeste do Castelo de São Jorge, ela abrange uma área que vai desde o Campo dos Mártires da Pátria até à Praça da Figueira.

 

Nesta colina fica o Miradouro do Tourel, que apesar de também possuir uma bonita paisagem que dali se desfruta (em frente vê-se o miradouro de São Pedro de Alcântara e a Av da Liberdade), é talvez o mirante menos movimentado da cidade.

Para se chegar a ele, o melhor acesso é pegar o elevador junto à Av da Liberdade, próximo dos Restauradores (rua de S. José), o Elevador da Lavra

 

Este miradouro possui um grande e agradável jardim, com lagos, equipamentos mobiliário e uma ótima esplanada que foi revitalizada há poucos anos. Se estiver com criança neste jardim há muito espaço para elas se divertiram, se estiver sozinho ou acompanhado aproveite para relaxar no relvado.

 

 Jardim do Tourel


 Elevador da Lavra

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:42


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D